sábado, 12 de dezembro de 2015

INTRODUÇÃO

"Notas de caderno para um livro que não escrevi".Não é nem mais nem menos que uma forma de tratar vários temas relacionados como por exemplo, a família, a religião, politica, trabalho, etc. Irei tentar expor os meus pontos de vista de uma maneira honesta. Claro á minha maneira que não irá agradar a todos. Basta ver que sou defensor de uma sociedade quase ao estilo nórdico, em que anseio uma qualidade de vida no concreto. Que não significa só ganhar dinheiro. Não, não é só isso mas também repensar o ambiente, as pessoas, os animais, a forma de nos alimentar, de construir, de preservar o meio que nos rodeia etc. Como o progresso também é necessário sem ser retrógado, por tudo contestar. Como nos empregos, as vezes uns porque podem decidir desumanizam outros iguais a eles, só para seu belo prazer e proveito pessoal . Tentarei ser o mais explícito possível nos temas. O primeiro tema será precisamente sobre a qualidade de vida.

CADA UM TEM O SEU SANTUÁRIO !!!!!!


CADA UM TEM O SEU SANTUÁRIO !!!!!!
Uns peregrinam a locais santos, outros a Mesquitas viradas para Meca, ou vão Meca para oração. Outros acreditando noutras religiões, ou seitas e crenças. Todas Elas Eu respeito, no fundo, em meu pensamento, mas no que Eu acredito é a Natureza, essa sim, perfeita. Essa força viva de vento que nos sopra na face, ou a chuva que cai no corpo, ou na cara que nos limpa o suor e arrefece.
Circulando nos campos, sentindo o abanar das árvores com as folhas a caírem cinzentas de outono, e ao mesmo tempo, o chilrriar dos pássaros. Depois, junto ao mar sentir o bater das ondas provocando uma sinfonia única que nos tranquiliza. E ao por do Sol, o reflexo no imenso oceano de mar calmo espelhando o vermelho de fogo. E nas cidades, os monumentos seculares trabalhados á mão por gente que nasceu com o saber da arte pormenorizando o seu trabalho manual sem ferramentas apropriadas, inventadas por si, e a cor da tinta que tiveram de descobrir ou inventar para retocar determinada figura. O trabalhar e colocar as pedras gigantescas em edifícios altos como testemunho para o futuro. E depois, circulando pelas aldeias do interior, terra a terra, convivendo com os habitantes locais contando as suas histórias de vida que já contam décadas. Depois uns cantando e outros recitando versos tipicos das suas terras. Outros oferecendo um espaço na sua mesa para jantar em comum. Outros também gratificando um local aprasível para pernoitar. Outro disponibilizando o seu quarto por uma noite com um jantar e pequeno almoço muito bem preparado e dedicado. O velhote que pára e observa e convida para se deslocar a sua adega dando a provar o seu vinho e cantando as virtudes da sua aldeia. As fontes que se encontram nos centros das aldeias quase todas a confluír com as ruas direitas. A gratidão de cada pessoa que nos observa. Em cada canto, cada porta, cada janela ou casa se avista algo de diferente daquelas gentes.
É tudo isto que me enche de esperança e alegria de viver. É a minha fé. É a minha forma de acreditar no Deus, Universo que construíu todo este prazer de viver, que é a vida. O respeito pelos outros, o meu amanhã, nesta oportunidade de vida surgida no meio de outras também não inferiores. O conhecimento dos povos, as suas artes e ofícios, e aquilo que a Natureza nos dá é o que me motiva. Enche-me de energia e concentração para um melhor bem estar para poder continuar neste rumo até que o meu ser permita. Muito já ganhei pelo conhecimento e mais espero ainda ganhar dia a dia dentro do possível. Costumo dizer que a minha maior riqueza é o conhecimento, por isso,  Eu digo aqui com muita convicção.
 O MEU SANTUÁRIO É A NATUREZA. Esta é a minha FÉ.



sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

E SE UM DIA HOUVER UMA FALHA TOTAL DE ENERGIA !!!!!!!

E SE UM DIA FALHAR A ENERGIA, em tempo de terrorismo ou sismo de elevado grau.
Imagine-se que o E.Islâmico se lembra de nós e coloca umas bombas nos vários pontos de transportes de electricidade, ou onde ela é gerida. Certamente por vários dias ficaremos inibidas da mesma, e logo, ficamos sem tv, telefones, computadores e a respectiva internet, aquecimento e praticamente tudo o que usamos não vai funcionar. Pior ainda, as agências bancárias não funcionarão porque os registos centrais de conta estão num determinado local em que mesmo que tenham energia alternativa não comunicarão com as agências. Com sismo de grau 8 poderá ser ainda mais problemático porque pode destruír vários componentes em bloco. Ou seja, pode gerar o pânico entre a população. Digo isto porque, ADAPTAMO-NOS PERMANENTEMENTE E EM DEMASIADO ÁS NOVAS TECNOLOGIAS ficando cada vez mais dependente das mesmas. Se pensarmos bem não há nada no nosso dia a dia que não dependa destas máquinas, (computadores)

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

QUE IMPORTA MORRER!... SE!!!!!!!

-

QUE IMPORTA MORRER.... SE, um dia conheci um Pai que me ensinou a ser Homem, e a dedicar parte da sua vida a mim. As surpresas que por vezes me fazia. As palavras que me dedicava em determinada altura da sua doença. As últimas palavras sussurrando que me dedicou no último dia da sua vida. Que importa morrer... se tenho na minha memória gravada como se fosse numa pedra a sua presença. Mas mais espero viver para sentir a força das suas palavras.


- QUE IMPORTA MORRER...SE, a minha mãe com os seus poderosos 87 anos é uma força da Natureza, com uma saúde razoável e com o seu "Juízo" cerebral em condições invejáveis para a idade. Ás vezes com uma maneira pensar não muito habitual para a sua idade, com conversas perfeitamente fluentes, quase sempre conjugáveis com a minha maneira de estar na vida. Que importa morrer... se, tenho uma mãe assim. É o meu orgulho. É grande pena minha não poder fazer mais por Ela.


- QUE IMPORTA MORRER...SE, um dia sonhei que haveria de ter a esposa que amava e que ainda hoje me acompanha nesta Vida de espinhos o qual me deu 2 dos 3 Filhos que desejava. Que importa morrer... se, as Filhas seguiram o caminho que mais gostaram


-QUE IMPORTA MORRER...SE, tenho o meu emprego á 30 anos. Aprendi tanto neste emprego não só na área que exerço mas também noutras áreas. Relacionamentos com outras pessoas. Colegas, Prestadores de serviços, Administradores de empresas nacionais e estrangeiras, embaixadas, ministros, professores, etc.

Momentos aflitivos como ameaços de bombas em embaixadas, ameaços com arma em punho, seguidores da minha presença em agências bancárias, seguidores da minha viatura com ameaço e tentativa de agressão o qual deu origem a acção em tribunal o qual ganhei, etc.
Que importa morrer... se com tudo isto aprendi a ter outra maneira de estar na vida, e dando até mais valor a vida e aos outros. Se não fiz mais nesta empresa foi porque não o quiseram. De resto, sinto que estou a pagar pelos novos tempos. Entram novos gestores, e classificam sempre os mais velhos pela sua idade ou cabelos brancos e ou outras aparências que lhes são estranhas ignorando muitas vezes a sua "potência" em conhecimentos, ou "bagagem" profissional pondo-os em permanente experiência. Mas, embora isto, sinto orgulho do que fiz por esta empresa, em especial na "Securitas".

Por isso também digo. Que importa morrer... Fiz mais pela Securitas que muitos!

Carnaxide 2010.08.31

-A atualizar.
- QUE IMPORTA MORRER...SE,
No meu tempo de lazer faço aquilo que mais gosto. Andar de bicicleta. Caminhar a pé por essas Serras,  montes e vales. Caminhar á beira mar.Fazer exercício físico. Conhecer esse Povo no interior deste País onde até já entrevistas realizei para video pessoal de pessoas simples.
 Por exemplo; QUE IMPORTA MORRER, se realizei um sonho que há uns anos pensaria que não era realizável. Atravessar de bicicleta o Alentejo na Costa Vicentina durante cinco dias. Atravessei a serra do Caldeirão. A Santiago de Compostela a partir do Porto. O Alentejo desde Carnaxide a Badajóz. De Bragança a Castelo Branco. Poderia citar aqui outros mas são muitos.
Da mesma forma penso QUE IMPORTA MORRER...SE, Admirei imenso a minha viagem de sonho ao Egito. A Itália, mais precisamente Veneza, não ignorando também Milão e Turim mas Veneza é neste momento o meu "icon". Estudo com bastante interesse a cultura e a existência do império Romano assim como o conhecimento das várias religiões existentes no Mundo completam todo o vazio que poderei ter no meu cérebro.




Carnaxide 2014.02.21

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

DICAS para: Como deverá utilizar determinados equipamentos em caminhadas ou bicicleta.

O OBJETIVO DESTE ESPAÇO SERÁ A POUCO E POUCO PUBLICAR COM OS AMIGOS A MINHA EXPERIÊNCIA DE 15 ANOS DE AVENTURA EM VÁRIAS FORMAS. Como usar, e que tipo de sapatos em determinadas situações. Em caso de temperaturas elevadas como proceder. Como utilizar uma alimentação específica. Como utilizar gps, e outras dicas que irei aconselhando segundo a minha opinião e conhecimento. 




-PARA UMA AVENTURA A PÉ COM ALGUMAS DEZENAS DE KILÓMETROS.

     É muito importante utilizar uns sapatos de ténis com sola de borracha, ao qual por cima tenham uma rede de respiração bastante aberta. A sola de borracha é bastante importante, e se tiver uma altura cosiderável ainda melhor. Em determinadas alturas deverás passar por estradas de alcatrão e se for um dia com bastante sol aquece bastante o piso e a borracha é menos aderente ao calor do que os sapatos ténis tipo plástico e que ao mesmo tempo gasta a sola mais rápido.
A sola deverá também ser bastante rugosa para aderir com mais facilidade ao piso, especialmente de terra batida ou montanha. Se não forem cosiderados estes princípios pode ocorrer o risco de formar bolhas nos pés devido ao aquecimento e ao encosto permanente da pele com o sapato. O sapato também não deverá ficar apertado. Por mim quando efectuo eventos desta natureza levo sempre 2 pares de sapato ténis. O objectivo é se em determinada altura sentir os pés quentes deveremos trocar de ténis , senão o efeito serão bolhas concerteza.

 
 
 
 






  •  


UMA VÊZ TIVE UM CHEFE ASSIM!!!!!!!

Há uns dias vi um programa na televisão que falavam dos chefes que não sabiam ser chefes.
Como concordo plenamente no que foi dito e referenciado como por exemplo a classe Portuguesa seria a menos qualificada não posso deixar passar esta oportunidade dando como exemplo negativo a experiencia por mim vivida com um chefe que tive em determinada altura numa empresa por onde passei.

Um dia de verão (Agosto) era ncessário ir reparar uma camara num poste com cerca de 6 metros de altura. O meu superior dedicou esse dia a circular comigo na minha viatura. Cerca das 14 horas era a hora marcada com o cliente e outro tecnico para me ajudar a reparar a camara. Chegados ao local e o calor deveria rondar os 35 graus. Colocámos a escada em posição assim como os referidos equipamentos de proteção. Uma vêz subiu um a escada e outra vêz outro pois seria necessário segurar a escada no solo não fosse ela escorregar. O referido chefe o que faz. Entra na minha viatura, liga o motor do carro, liga o ar condicionado e fica lá dentro bem instalado ao fresquinho. Poderia ir ajudar a segurar a escada ou alcançar equipamento a quem estava em cima ou até tentar perceber para ajudar na referida avaria que até era complicada.
Bem, respeito essa forma de estar na vida embora eu não concorde com ela Senão vejamos o exemplo dos Nórdicos ou outros que até andam em mangas de camisa nos seus escritórios. Ou seja os que eu critico, quantos mais chefes são, menos mãos tem para sujar ou auxiliar. É tipico do chefe Português. Penso assim porque nos meus longos anos de serviço no exterior, como embaixadas, empresas multinacionais, fábricas etc. ou até moradias de pessoas não nacionais que eram gestores de grandes empresas estavam tão simples que faziam de tudo um pouco. Não se importam de sujar as mãos. Não tem a vergonha que os Portugueses tem. Este (Portugueses) quando chegam a chefes manifestam a sua distância perante os seus "subditos".
Que me desculpem os meus conterrâneos mas é a realidade...

terça-feira, 21 de agosto de 2012

OS MEUS TEXTOS PUBLICADOS NO FACEBOOK. São meus mas quem os quiser ler!!!!!!!!!



QUALQUER UM DE NÓS PODE SER OU É PAI OU MÃE...
Enquanto novos, a vida pode correr bem. Quando idosos, as pernas cansam. O coração bate mal. O colesterol aperta. O cérebro rejeita, e está dependente em definitivo dos filhos. É nesta altura que Eles devem pensar que quando eram "infantis" em tempo de escola, os Pais deixavam o trabalho para ir ao médico e tratar deles, e ao longo de muitos anos foram muitas as vezes. Então, quando se invertem os casos, ou seja, quando os Pais chegam a velhos, são os filhos que devem perder os dias de trabalho e tratar os Pais. Quem assim não faz, pode ser que um dia, quando Eles lá chegarem, a velhos, os filhos deles lhe façam o mesmo, porque A NATUREZA É PERFEITA.





4717 · ·
24 · ·
33 · ·
· ·
2 · ·
1 · ·
· ·
3 · ·

domingo, 9 de outubro de 2011

AS MELHORES FRASES DITAS POR GENTES CONHECIDAS

A VIDA É UM PEQUENO MOMENTO NESTE GRANDE UNIVERSO SEM FIM. (José Garcia)


A VIDA INVENTOU A MORTE. (Steve Jobs)Inventor ou criador do Ipod, Iped, iphone etc. Patrão da Apple. Frase proferida quando informou oficialmente que tinha um problema grave de saúde.
Se pensarmos que desde que nascemos até morrer neste universo solar tão grande que
existe há vários milénios, a vida são mesmo dois dias e por isso devemos aproveitar o que de bom ela nos dá, antes da morte!

FAÇAM O FAVOR DE SER FELIZES. (Raul Solnado)Porque não? É fácil .Mesmo quando surge algo triste basta pensar que é natural e enfrentá-la dando a volta por cima. Ás vezes só devemos dar importância ao que é importante.


NÃO SE DEIXEM INTIMIDAR POR UMA SOCIEDADE CADA VEZ MAIS LAICA. (Bento XVI)
, na sua deslocação a Madrid)

Porque não alteram eles as leis da igreja já que estão a perceber que cada vez mais as pessoas estão a fugir da igreja. O casamento dos padres por exemplo já seria uma grande solução para uma grande abertura á sociedade religiosa.

O SORRISO É A ARMA CONTRA A INDIGNAÇÃO E O MAL QUERER DOS OUTROS.
(J.G.J.)

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

SEMPRE OS MESMOS NA POLITICA

Ontem foi dia de eleições presidênciais. Fiquei "aterrado" quando no final das contagens dos votos apareceram todos os candidatos a gritar VITÓRIA. Que tristeza. Então estes indivíduos pouca importância dão ao facto de mais de metade da população não ir votar. Em vez de fazerem a leitura de...! porque não compareceram nas urnas ?!, "cantam" o seu sucesso e o seu protagonismo. O próprio vencedor falou como uma grande vitória e ainda escurraça os outros concorrentes, e não cita nada de objectivo, e, pavoneia-se muito.
O que nos deve preocupar é que as pessoas não foram votar porque estão fartas Deles. Ainda ontem, numa pastelaria o propritário comentava para um cliente que não ia votar porque já estava farto e são todos iguais, nada fazem por este País, e, curiosamente os outros clientes que por lá estavam comentaram a mesma opinião, não se deslocando as urnas. Já durante a semana anterior me apercebi em vários locais, de muitas pessoas com a mesma opinião.
Ligamos a televisão, e dão pouco relevo ao facto da mesma abstenção. Até os comentadores pouca importância dão. Quando falam, falam superficialmente.
50% de não votantes é metade do País que se está burrifando. Deviamos ter outros políticos novos. Talvez menos deputados. E INDIVÍDUOS COM IDEIAS NOVAS A GOVERNAR.
TEM DE GOVERNAR PARA AS PESSOAS.

terça-feira, 6 de abril de 2010

AS ÁRVORES MORREM DE PÉ (na empresa ou em qualquer lado)

Um dia, tinha cerca de 9 ou 10 anos, ainda existia a televisão a preto e branco, vivia na aldeia e assisti a uma peça de teatro com uma grande actriz da altura que dava pelo nome de Palmira Bastos. Não recordo bem o enredo ou a história da peça mas sei que seria qualquer coisa relacionado com a sua idade avançada no qual as pessoas que a envolviam a subtraíam dos seus costumes e valores pessoais. E ficou na minha memória que mesmo no fim da peça a actriz com um cajado na mão bate no chão e cita com grande vigor a frase "AS ÁRVORES MORREM DE PÉ".
Peguei neste tema porque tão novo que era já tinha achado a frase muito carregada de valores morais e talvez com significado para o meu futuro. Teria sido 9 anos antes do 25 de Abril e entretanto já lá vão mais 36 após, e no dia a dia das nossas empresas e no próprio meio em que vivemos as pessoas continuam a pensar de forma a entender que quando alguém chega as 40 anos já é para (abater). Procura emprego e basta olharem para a pessoa e mesmo que preencha o curriculum, não é aceite. Há que dar o lugar alguém bem mais novo, e é preciso é que saiba trabalhar com bastante conhecimentos de informática, mesmo que as vezes o que os princípios básicos de vida dessa pessoa seja relativo.
Cito este tema porque mesmo que saia em saco roto, é mais uma vês a minha forma de expressão para quem quiser ter a pachorra de querer seguir estas letras.
Trabalho numa empresa multinacional há 29 anos sem interrupção. Por ela já passei inúmeras fazes da minha vida. Mas um dia teria cerca de 40 anos, portanto à 15 anos, estava a executar trabalhos diáriamente com um colega cerca de 6 anos mais velho do que eu e em determinada altura numa das nossas conversas ele mostra-se um pouco preocupado com a idade que tinha porque provávelmente os nossos chefes já o viriam como uma pessoa não muito útil devido a idade. Este mesmo colega teria problemas familiares e até de adaptação a certos trabalhos, mas surge o meu parecer que deveria tomar de atitude pelo facto que novos tempos se adivinhavam e uma nova postura deveria começar por ter. Não só Ele mas mas também os que permaneciam na empresa pois rondavam todos pela mesma idade e retorqui que, bastariam os chefes mudarem para que algo de novo e ao mesmo tempo de mau viesse a surgir com despedimentos pontuais ou em massa. Foram só precisos 5 anos e Ele foi logo o 1º a ir embora. Mais algum tempo e surgiria a maior parte. Bem, mas julgo não ter interesse focar toda a história mas sim os princípios porque as chefias se regeram.
As empresas hoje em dia entendem que devem dotar de chefias para fazer gestão e não para ter uma atitude de empreendedorismo que é o que a mesma e até o País precisa, e depois só vão valorizar os números nem que para isso se tenha de abater pessoas. É que, o empreendedorismo é mesmo para dotar a empresa de cuidados técnicos pessoais e ao mesmo tempo da realização económica da mesma. A gestão só valoriza a parte económica e daí a critica também à minha empresa que optou para este tipo de gestão.Claro a meu ver. A nível de gestão de pessoas, possui uma grande parte de jovens, como pessoal técnico de valor. Ao mesmo tempo alguns poucos de mais idade os quais se percebe que são já vistos por alvo a abater mais tarde ou mais cedo, só basta que escorreguem um pouco. Sendo esta empresa dotada de chefias que não conhecem bem o passado dos mais velhos quando lhes é solicitada qualquer coisa nota-se que nos seus íntimos surge sempre a questão do (será que é capaz de fazer!?). E assim sendo muitas vezes não é dada a oportunidade a estes mais velhos que embora alguns possam ter defeitos mas podem executar os trabalhos as vezes até diferente que os mais novos. Qualquer pessoa deverá ter em mente que quer os mais velhos como os mais novos aprendem sempre uns com os outros. Mesmo eu com a idade que tenho não prescindo nunca de trabalhar em conjunto com Eles, e tenho a mesma opinião em relação a Eles. Em comum estamos sempre a tirar duvidas. Compreendo que existe pessoas de meia idade que se resignam a fazer algo de novo até na sua vida profissional, pessoal e familiar. Muitas vezes tem o habito de se dedicarem ao mais simples utilizando o seu tempo nas coisas menos importantes da vida que até ficam (barrigudos). Mas não se podem por todos novos e velhos no mesmo saco, porque os novos acabam também por ter hábitos impróprios no trabalho. Costuma-se dizer que a velhice vê-se no corpo e na mente e quantos novos tem 20 ou 30 anos e a burrice é muita. Uma vês experimentei fazer perguntas a uma jovem com vinte e poucos anos, de cultura geral sobre o Alentejo e de nada mesmo soube dizer. Então se formos ver a escrita e fica muito aquém do que é normal. E isto passa-se com muitos e então porque é que os mais velhos são quase sempre indiciados como "caducos". Os novos também sabem mentir ou ter´até praticas menos convenientes tal como os mais velhos, mas estes é que são sempre culpados pela idade.
Voltando as chefias, elas mesmo por vezes também não conhecem as pessoas com que estão a trabalhar. Senão vejamos, na minha empresa, todos os finais de Ano é dada uma classificação. O efeito, é relativo, no meu ponto de vista. Eu próprio tenho um chefe que foi nomeado em Outubro passado. Já tem talvez cerca de 7 ou 8 anos de casa. Nunca trabalhei com ele. A nossa amizade não passava de cumprimentos e de contactos através de telefone e encontros normais na empresa. E o superior dele, e também meu, claro, aderiu a esta empresa em Agosto do ano passado não conhecendo os meus princípios técnicos e até de cultura geral, como me podem atribuir um valor seja ele qual for. Conhecendo eu os questionários, e como são feitas as perguntas não será justo julgar seja quem for qualquer pessoa para o futuro desta empresa ou noutra qualquer desta forma.
Também as vezes a falta de conhecimento das chefias em relação ao restante pessoal dá origem a outras atitudes também menos correctas e voltando de novo ao tema da idade.
Havia na empresa 5 coordenadores a fazer a gestão, cada um com uma determinada zona. A determinada altura as mesmas chefias criam uma reunião com os 5 elementos frizando que a partir daquela altura só seriam dois. Sem utilizarem argumentos menos válidos para a excepção dos outros quanto a mim. Mas um dos que ficou até se pode compreender devido ao tempo de casa que possui, mas outro que é o mesmo que mais acima referi, nem encarregado foi, tendo as chefias ali num conjunto de 4 outro para escolher. É tudo uma questão de ética, é que para além de ser eu um deles com 29 anos de casa outros havia com bons exemplos dados. Por minha parte após ter conhecimento pedi para abandonar a reunião, o qual me foi autorizado. Quanto a mim se foi a idade, e se algum dia poder por a prova vamos fazer um teste e ver entre os de 28 ou 35 anos que decidiram tal acto, e o de 55 anos onde está a "velhice", falando de cultura geral ou até tecnicamente também em geral na profissão.
-Uma vês li num livro de um autor que agora não lembro que dizia o seguinte:
-NÃO ESQUEÇAS QUE A APARÊNCIA EXTERIOR NEM SEMPRE MOSTRA O VALOR QUE ESTÁ POR DENTRO !

A VELHICE E A NOVIDÃO ESTÁ NO CÉREBRO DE CADA UM DE NÓS !

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

As Vezes as Divergências não são assim tão grandes, e até se entendem.

Tenho internet á alguns anos. Adoro perder algum tempo neste espaço global. Não aprecio o tempo gasto em conversação contínua no mensager ou outra, porque outras coisas ha para fazer. Mas sinto este espaço como uma oportunidade para poder expor as minhas duvidas ou exprimir tudo o que me vai na "alma". Porque pelo menos quem o lê, lê porque quis. Como o de hoje que considero importante.

Batem-me á porta. Vou abrir. Surge um amigo e outra pessoa que não conheço mas que nos cumprimentámos. Já á alguns anos que não nos vimos. Apresentações feitas e surge a pergunta porque vem a minha casa. Vem a resposta do então amigo, se eu acreditava em Deus. Vi logo ao que vinham. Geovás em pessoa. Foram tocar num tema ou assunto que mais gosto de tratar.
- Deus como voçês acreditam, ou seja, como pessoa eu não acredito. E passo logo a sintetizar que foi como eles quando tinha 6 ou 7 anos que me ensinaram que Deus era uma pessoa que estava no Céu e que quando morremos, e se não tivermos pecados vamos para o Céu e ficamos ao seu lado, e se fossemos pecadores já seria o inferno cheio de fogo onde seriamos queimados. -Ouviram-me com atenção retorquindo que Ele via e sabia o que fazíamos e que o Mundo acabaria num tempo próximo.
Ouvindo isto eu pergunto se acham que Deus era homem, e ao afirmá-lo positivamente questiono que assim Ele até é uma pessoa má. Então se é homem e vê dos Céus tudo o que se passa porque é que castiga os Povos mais pobres como por exemplo o terramoto no Haiti. E o Aluvião na Madeira?, á 4 anos o tssunami na Ásia onde matou milhares de pessoas onde não esqueci mais a "dor" de um velhote que retotquiu: (Então eu rezo tanto e acredito tanto em Deus e porque me fez isto, e levou-me a família toda. Não vou acreditar mais) .Disse.
Então como querem que eu acredite em Deus homem e como posso acreditar em vocês opinando da mesma forma. Eu acredito em Deus sim mas como o ar que respiramos, o gato ou o cão, ou o pássaro, ou a Terra, ou o espaço. Nós fazemos parte de um todo que nos envolve e por isso existimos como deixaremos de existir com outra coisa qualquer a nossa volta. A diferença é que somos talvez mais inteligentes que qualquer outro ser vivo.
-Interrompeu o meu raciocínio um deles, retorquindo, que até acreditava, pois que quando foi para o Ultramar, na altura da guerra colonial estava em fila de formação para tomar o barco e que questionou que se Deus visse não deixava que aqueles militares fossem para a guerra porque iriam matar outros irmãos Dele, porque a guerra serve os interesses de outros Povos e se Deus fosse Homem seria impossível permitir que outros homens fossem matar outros homens.
Interrompi para lhe dizer que afinal concorda comigo, o qual disse afirmativamente que sim.
Depois perguntei se acreditava em Jesus!? o que não obtive resposta. Sintetizei que não tenho religião mas acredito na Natureza como fonte de vida, mas acredito que Jesus existiu numa época em que era dominada pelos Romanos e Jesus foi a "força" da altura para contrariar o Império então existente em que os pobres não tinham valor algum e que após a sua morte os seus discípulos vaguearam por esse Mundo fora com as suas teorias criando as várias religiões e seitas por aí existentes.
Interessante porque não foram contra os meus argumentos inclusivé dizendo eu que uma das pessoas na nossa "era" que passou pela Terra e que muito apreciei foi o Papa João Paulo 2. Também como Jesus simbolo de união entre os Povos que movimentaram mutidões com crença e outros sem crença. Mais um pouco de conversa e respeito pelas religiões e opiniões agradeceram a minha disponibilidade tendo sido muito útil aquela meia hora de dialogo, disseram.
Despedimo-nos. um aperto de mão, e lá foram após um dialogo muito interessante e com respeito por ambas as partes.
O que me admirou é que em vez de serem eles a opinarem sobre a sua Religião Geová ouviram-me com toda a atenção, admitindo a minha razão.

domingo, 15 de novembro de 2009

A ALMA ESTÁ NO CÉREBRO. a obra de Eduardo Punset

Hoje terminei de ler um grande livro. É sempre para mim um grande prazer saber sempre mais sobre o nosso "disco rígido". A forma como processamos as nossas atitudes sempre relacionadas com o Cérebro. Ás vezes não damos tanta importância a ele mas tudo parte daí . O autor explica no ínicio que o tema é também para desmistificar a ideia de que a alma está no coração. Supostamente, ele mesmo, o coração subiria aos Céus segundo a religião, mas se fosse verdade seria sim o cérebro e nunca o coração.

Recomendo vivamente este livro para as pessoas que querem saber o PORQUÊ das coisas.
Pela importância vou também editar algumas partes que achei de interesse aqui neste espaço.

O autor termina o livro citando esta frase!!

...Observe com perspectiva e uma certa distância os grandes acontecimentos e não se esqueça de desfrutar das pequenas coisas.
pág.380


...A tendência pessoal para desfrutar da família, da casa, dos amigos e dos pequenos prazeres incomoda a sociedade no seu conjunto, porque os seus objectivos são globais, não individuais, e não têm nada que ver com a felicidade pessoal.
pág.377


e outras frases!!


...Há poucas pessoas que ganhem 3000 euros e que decidam ficar-se por aí para trabalhar menos e passar mais tempo com os amigos ou com a família. Ganharão mais, mas não poderão utilizar esse dinheiro em nada, porque todo o seu tempo estará investido na obtenção de dinheiro, não em gasta-lo ou aproveitá-lo com as pessoas que amam. O que é que prefere: ganhar 4000 euros por mês e não dispor de tempo ou ganhar 2000 euros e dispor de muitas horas livres.
pág.369


...Lembre-se disto, leitor: um copo de vinho fá-lo-á sentir-se muito bem; dois copos de vinho fá-lo-ão sentir-se maravilhosamente. Mas cem copos de vinho não farão com que se sinta cem vezes melhor: sentir-se-á pior. Uma das maldições da riqueza é que ela decepciona, já que não proporciona aquilo de que se estava à espera.
pag.369


...Se uma pessoa possui crenças, muito, muito fortes, será muito difícil eliminá-las e, claro está, será difícilimo, para sermos francos, introduzir novas crenças. Uma pessoa dogmática ou fanática, alguém que já esteja firmemente convencido de algo, será um pesadelo para quem lhe quer lavar o cérebro. No entanto, se um manipulador se depara com uma pessoa jovém, por exemplo, com uma pessoa que não descobriu ainda quem é na vida, ou que tem duvidas, que anda á procura de algo, mas não sabe bem o quê, essa pessoa será uma vítima maravilhosa.
pag. 140


...Será que você está a ser manipulado? É possível, porque uma empresa de publicidade ou um gabinete ministerial, numa sala de reuniões de um meio de comunicação ou no outro extremo do próprio escritório, haverá sempre pessoas que estarão a calcular como é que poderão conseguir que você pense aquilo que eles desejam que você pense. O ser humano tornou-se assim desde o primeiro momento em que começou a caminhar sobre o planeta Terra. A solução está no seu cérebro. Como nos dizia Kathleen Taylor: «Pare, Pense, Reflicta.»
pag. 146



----------------------------------------------------------------------------------



Numa formação de psicologia em Tomar
(alguns apontamentos com significado)


Psicologia significa pensar de forma diferente.
Decorar é um atentado contra a humanidade.
As coisas tem de ser sempre- SIMPLES, ESTÁVEIS E OBJECTIVAS.
As coisas simples é que são difíceis de atingir.
Motivação é igual a Emoção.
O bem mais democrático é o tempo.
Vale mais dar que receber. ( citado por António Damásio. cientista Português.)
Coeficiente inteligência emocional, significa "como eu penso"
Rámon Gomez de La Serra, escreveu. « O lápis escreve sombra de palavras.»
A água do rio que passa por baixo da ponte nunca é a mesma.
Todos nós somos iguais e temos telhados de vidro.



segunda-feira, 27 de abril de 2009

D. Nuno Álvares Pereira (mais um Santo)

D. Nuno beatificado hoje pelo Papa.
Correu a notícia hoje logo pela manhã nas tv,s. Decidi fazer este comentário porque fico intrigado, já que pensava que quem era designado Santo seria uma pessoa sem pecado mortal. E que se dedica só a fazer o bem ao próximo. Admiro imenso este grande homem que foi um lutador pela Nação, e após as conquistas se dedicava ao bem, e até a tratar os feridos mesmo do lado do inimigo. Perdoem talvez a minha ignorancia, mas, tendo como exemplo Jesus que não matava e que até nos dez mandamentos está citado "não matarás". O mesmo enfrentou batalhas com Castela. Ou seja, também com Cristãos usou a espada em punho contra eles jurrando sangue. Sei que era outra época e o que interessava eram os territórios e havia que lutar por eles. Mas fico com alguma surpresa neste Século ser uma pessoa canonizada sabendo este passado. Julgaria eu que por exemplo, se tivesse sido canonizado na época, talvez se entendesse melhor, porque seria prática corrente esse tipo de acção pela Pátria.
Também o D. Lourenço Vicente (oriundo da Lourinhã) que foi Bispo de Braga e descoberto o seu corpo na Sé de Braga em estado inteiro tal como se pode ver na própria Sé, foi também um guerreiro, de tal forma que ficou sem um pouco da orelha. São talvez estes actos da igreja Católica que poderão afastar as pessoas da religião. Pelo menos é a minha convicção, pois eu, sou o exemplo, porque me afastei á já algum tempo. Não será altura da Santa Sé começar a mudar?.

quarta-feira, 25 de março de 2009

A HISTÓRIA DA VIDA DE UM AMIGO

Ás vezes apetece escrever no papel ou no computador, as maleitas do dia a dia. Nasce-se num meio onde aprendemos certos princípios de vida. Somos crianças. Choramos. Levamos uns tabefes e depois aprendemos a ler e a escrever, e quando damos por nós já somos adolescentes e já a planificar os nossos princípios básicos de vida. Entretanto, crescemos mais um bocadinho e já somos adultos. Escolhemos o nosso caminho. Conheçemos pessoas e amigos. Começamos com as nossas exigências pessoais. Sente-se o princípio da amizade para com os amigos, a família, os colegas de trabalho etc.

-- A Ele, O Tiago...
-Começas o teu grande salto que é conheceres a tua namorada no qual lutas para que um dia seja tua mulher. Lutas durante alguns anos para a tua conquista e enfrentas a forte oposição familiar de quem mais gostas. Mas fazes os teus planos por longos anos ao lado de quem mais gostas e tanto insistes que de nada serve criarem obstáculos para esquecer quem mais gostas. Que remédio senão ser aceite no seio da nova família que entretanto acabas por casar. Um grande casamento no qual vai toda a família e amigos. Mas para isso já fizeste os planos para o futuro. Já compraste casa onde vais viver com a tua melhor companheira. Já idealizaste que queres 3 filhos. E enfim começas uma nova vida em que agora tens de trabalhar com mais afinco para teres uma vida mais digna possível. Mas entretanto algum tempo depois vem o desemprego por alguns meses. Mas quem te ajuda,? porque entretanto já tens uma filha nos braços?! As despesas correm. O desemprego continua, mas quem tu pensavas que desse algum apoio foi por água abaixo porque o problema era teu. Pensavas tu que aqui, a família seria exemplar, segundo o tal princípio básico de vida. O desconforto moral e distante foi o mais eficaz. Família só tiveste os teus Pais que entretanto mantinham um negócio que semanalmente te disponibilizavam alguns alimentos.
Mas os anos vão passando e vives só com a tua esposa e filhas na Cidade que entretanto já estão em idade escolar. Tens de lhes preparar o futuro sempre que possível baseados nos tais princípios. Mas nem sempre são rosas porque os espinhos por vezes florescem mais depressa.
Outra década chega. As tuas filhas já cresceram mais um pouco e vem a adolescência no qual se agregaram outros problemas psicológicos familiares com certa gravidade. Poderão ser normais, mas sabes que tens amigos bastante influentes que te poderão ajudar. Recorres a eles mas ao certificarem da gravidade em vez de te auxiliarem psicológicamente "fogem". De vez. Sentes uma grande revolta interior. Se os amigos são assim para que os queres!? Sentes que a solidariedade é uma palavra vã. Muito oca ,mesmo. E questionas-te várias vezes.Porquê? Evitas neste caso comentar com os teus parentescos este assunto, mas sentes um vazio e apercebes-te que só tu poderás tentar ajudar a resolver o problema. Mais uma vês te sentiste frustrado porque até tens uma sobrinha que é enfermeira e enfrentou este assunto com a maior das naturalidades. Sentiu-se que o problema não era deles. Assim a tua dor continuou. Que vazio tão profundo que vais sentindo cada vez mais com a tua família. Bem, algum tempo depois o assunto foi felizmente ultrapassado com êxito, mas os espinhos estão sempre presentes. As idades já são mais avançadas e as faculdades para as tuas filhas aproximam-se, mas tens em mente, que desejarias que cada uma frequente o curso que pretende. A pintura e a Arte são os desejos profundos com entrada em Belas Artes, mas tens a opinião contrária da Mãe e tua esposa. Sentes-te no meio da balança mas com a tua tendência que consideras óbvia. Mas os 5 anos passam e a faculdade está feita. Sentes que entretanto as diferentes formas de pensar e agir entre os quatro lá de casa surgem. Mas já são o peso de mais opiniões adultas que tens e deves considerar. Ás vezes paras um pouco e pensas porque não à consenso e porque isto te acontece. Basta muitas vezes ver onde está a razão, que na tua maneira de ver é fácil. Porque quase tudo serve de argumentos contrários.
Como se não bastasse chega a pior fase da tua vida. Após estares 24 anos no teu emprego começam por te considerar uma pessoa a mais e tentam a tua queda. Mas resistes mais um pouco e incrédulamente te questionas de novo. Porquê ? Decides uma ajuda médica e entras de baixa psicológica por alguns meses o qual em parte venceste de forma que ou mal ou bem ainda hoje te mantens no mesmo emprego sabendo que os que tentaram prejudicar só lá está um.
Ao mesmo tempo em que entras nessa crise de emprego a tua sogra adoece gravemente o qual uns meses depois veio a falecer. Desde essa altura nasceram-te outros espinhos bem mais agudos.
Nesse momento que mais precisas da tua esposa, ela opta por estar ao lado da mãe, exercendo o seu direito de baixa concedido pela médica. Ficas de certa forma ofendido. A família da tua esposa em quase 30 anos de casados nunca optaram por te ajudar. Até mesmo quando as tuas filhas eram pequenas. Sempre ignoraram a tua esposa e por consequência a tua família directa. E tú estás sozinho em casa de baixa psicológica. São momentos que mais questionas na tua vida. Imaginas, porque é que os teus cunhados tiveram direito a uma moradia cedida pelos Pais. Foram auxiliados em compras de máquinas agricolas e fora o resto que não sabes ou nunca ficarás a saber. Tú ainda os ajudas-te a receber dinheiro do Estado por 2 vezes no espaço de uma década, com o empréstimo dos terrenos que tens constado que estão alugados a Eles. Mas é só no papel. E tú tens de trabalhar para o que tens. Sentes-te deveras ofendido porque sabes que estão na posse de terrenos onde vão buscar o seu ordenado. Um terço deles sabes que são da tua esposa, mas ignoram porque a subtileza é mais conveniente. Mas entretanto queres investir em algo mas não podes. Por exemplo ajudar a pagar uma parte da casa da tua filha, ou investir num outro apartamento no Algarve. Ou o teu futuro até. Questionas porque hão-de estar os valores nas mãos dos teus cunhados, e já a alguns anos? Depois também te questionas que um dia o teu Pai quiz passar-te o supermercado que possuía mas não quiseste porque terias daí a alguns anos dar uma parte as tuas irmãs e isso poderia ser incomportável. Mas vês que do lado dos teus cunhados se dá o contrário. Por isso não consegues suportar a ideia de que porque é que entre irmãos se pode prejudicar assim. Acabas por criar uma grande distância entre ti e eles, e como consequência sabes que prejudica a relação entre ti e tua esposa. E o tempo em que isto acontece já começa por ser bem longo. Sabes que até a morte da tua sogra vocês eram um casal exemplar. Assim eras considerado pelos outros. Tens em mente desde sempre, no teu rol de princípios que na vida de casal não vale a pena serem diferentes e ignorarem certos assuntos, ou até, esconder outros, talvez. Sabes que queres qualidade de vida mas que para isso também tens de estar feliz no teu ambiente. Fartas-te de dizer que na vida de casal um não pode tirar a alegria ao outro. Sentes que a família da tua esposa lhe alterou a sua maneira de ser e sentes isso de dia para dia. Sabes que a tua Mãe é ignorada por Ela. Vês isso com uma grande tristeza e pões na balança o peso e sentes que és obrigado a pesar mais para um lado que para outro. Sabes que do outro lado não foste apoiado. Do teu lado optou por oferecer um carro novo quando fizeste 18 anos.E não esqueces, a maneira como te foi oferecido! Foi mesmo com orgulho de ser teu Pai. Enfim, e muito mais. E os teus sogros? Pelo contrário, não tens referências algumas. E agora como podes aceitar tais famílias sentindo que tua esposa ignora tua Mãe? E esta Senhora que sempre se preocupou com a tua família. Fez-te sempre pequenas coisas que jamais te esqueces como levar-te de manhã cedo o Pão fresco da loja que quando ainda estavas a descansar colocava-te na parte exterior da porta.
Como ainda não basta, os teus Pais deram-te um terreno com uma adega quase centenária no qual observas-te que até lá dentro chovia. Fizeste mais um esforço de vida e, e com os teus quarenta e pouco anos lá foste fazer o tal empréstimo para fazeres obras na tua casa. Desta vez ficaste a saber que ficas a pagar até a tua velhice. Oh, mas enches-te de coragem e sabes que é preciso é saúde para o poder pagar.
Mas logo, surge tuas irmãs com desconfiança de que algo se passa. Pensas tu que talvez seja porque julgam que tens mais terreno que Elas! Mas vez os projectos e as medidas e concluis que não. Mas dia após dia percebes que se mantêm a mesma postura de afastamento. Mas já ouviste a algum tempo uma conversa da tua irmã com a tua Mãe e sabes que Ela pergunta onde está o dinheiro do trespasse do supermercado no qual origina uma grande discussão entre Elas. Mas sabes que por "a" mais "b" que pensam a tua casa supostamente foi construída com tal dinheiro. É claro que ficas indignado. Mas a conversa ainda não foi feita directamente a ti. Mas algum tempo depois enviam-te os teus cunhados para que angelicamente vás tratar de fazer as partilhas sem saberes qual a tua parte. Mais indignado ficas, porque sabes que os 3 terrenos do teu Pai foram sorteados a alguns anos e a ti a sorte ditou o pior que o teu Pai tinha em valores de terrenos e então ficavam como está e seriam só sorteadas as casas. Mais uma vez sentes enganado. Se em sorteio te calha de novo a pior casa ,lá ficas tu de novo com o pior. Mas o teu cunhado ainda assim diz que foste beneficiado. Ficas furioso. Percebes que o teu outro cunhado fica do teu lado emitindo sinais e sem manifestar opinião verbal sobre o assunto. Claro que passas por uma das piores crises familiares. Jamais o queres ver por perto. Questionas durante muito tempo o porquê de tudo isto. As vezes vale mais seres corrupto para seres como os outros do que teres os teus princípios que tanto julgas correctos. Mas entretanto sabes que necessitas ter uma grande conversa familiar, para alguns esclarecimentos o qual acontece alguns meses mais tarde no qual verificas que é assim que se resolvem todas as dúvidas. Pediram-te desculpa ao qual jamais esperavas. Agora sabes que a outra tua irmã, aquela em quem tu mais confiavas se afastou de ti sem saberes as razões reais que a levaram a fazer tal atitude. Será por culpa do chamado ciume, por partilhares agora dialogo com a outra irmã? Mas não te deves preocupar porque o ser humano é assim mesmo. Não te esqueças que tu é que contas. Entretanto estás de pé atrás porque o facto de pedir desculpa pode ser temporário O tempo o dirá.
Estás sozinho para a resolução de todas estas coisas. As vezes sentes-te isolado sem resposta as perguntas que tens para fazer, mesmo em casa. Sentes necessidade de comunicar sobre as coisas que fazes no dia a dia. As vezes só o consegues no trabalho com os teus amigos e clientes e por isso sentes frustrado. Uma das tuas filhas está em casa mas sempre ocupada. A tua outra filha está na sua casa a uma certa distância. Com a tua esposa o vosso relacionamento é com grande frieza pelas razões acima transcritas. Costumas dizer que a paciência tem limites, mas ela tem sido muita. Ás vezes queres ir a noite beber uma cerveja ou um café a um bar que gostas. Não tens companhia familiar porque uma é vegetariana. A outra quando está contigo no fim semana raramente sai de casa ou então a saída é para centros comerciais. A tua esposa não diz mas normalmente é um frete acompanhar para essas coisas. Mas tu és um indivíduo que gostas de ouvir música . Detestas o silêncio. Sabes que conversar e conhecer outras pessoas enche-te aquele vazio que tens dentro de ti.
Qualidade de vida é mesmo o que procuras e queres e que mesmo assim até consegues. Mas perguntas muita vez. Porquê a ti que gostas de toda a gente!?. O melhor que te podem dar é conhecer a cultura dos povos. Eventos. etc. Ás vezes é ridículo que se queres algo que faz parte de cultura tens de ir só ou com amigos. Mas não foste tu que estudaste para ser doutor ou engenheiro, mas as vezes sentes que tens mais interesse pela cultura que aqueles que são formados.



A QUEM DEDICO ESTE TEMA...

Aqui foi contada a história de um amigo que eu conheço de nome Tiago . A este Amigo, e a tantos outros que por aí há só desejo que enfrente a vida com grande vigor, e dizer que o lema é!. Mesmo que difícil, deves estar sempre de uma forma bem positiva e sempre alegre. O sorriso é a arma contra a indignação e o mal querer dos outros. Força TIAGO.
2009-Junho-13

domingo, 15 de março de 2009

"O MEU ÚNICO DESEJO É CONVERSAR. CONVERSAR COM ALGUÉM QUE AINDA SABE SORRIR"

Hoje ao beber um café, numa pastelaria, o pacote de açúcar que me foi servido deparei com esta frase que me tocou imenso. Poderei dizer que é um dos grandes prazeres da minha vida. Daí o facto de ter registado.
Que bom que é o sorriso da pessoa com quem estamos a conversar e que ao mesmo tempo esse sorriso é transmitido a nós.
Significa boa disposição.

Autor da frase: José Manuel Saraiva ( inserido no pacote)

sexta-feira, 13 de março de 2009

A POBREZA IGNORADA

Pobreza!!!
Que palavra essa tão em voga nos dias de hoje.
Decidi fazer hoje este comentário relativo a este assunto, porque não posso ficar indiferente a certas atitudes, muitas vezes talvez por parte de pessoas que o ignoram sem motivos, ou sem darem por isso fechando os olhos. Claro que é o meu ponto de vista, mas provavelmente estou "redondamente" enganado. Que me perdoem se assim é.
Á dias desloquei-me a uma aldeia do interior deste País, mais precisamente no concelho de Idanha-a-Nova no intuito de aprofundar os conhecimentos do Povo local, tal como os seus hábitos e costumes, como é meu apanágio de vez em quando.
Logo que estacionei no centro e ainda a retirar as malas para transportar para o quarto onde iria ficar, surge um sujeito de meia idade, e abraçando-me, e com a alegria profunda dele, começou por dizer que era uma terra onde existia um poeta e que embora não conhecido tinha publicado um livro. De seguida começa por citar alguns poemas, mostrando uma memória de "ferro". Tão intrigado, perguntei quem era o poeta. Mostrando um ar de riso confidenciou que era ele. Que satisfação a minha ao observar tal atitude. O Senhor prontificou-se a ir buscar os livros publicados a fim de nos mostrar.
O Senhor poeta seguiu a sua vida prometendo voltar com os livros.
Pouco depois surge uma Senhora que nos observou na amena "cavaqueira"e até alguma alegria, aproximou-se de nós e comentou que o Senhor Poeta era "maluco", fazendo sinal na testa como de costume.No dia seguinte ,também um Senhor usou os mesmos métodos da Senhora. Intrigado, optei que da próxima iria sentar com ele à mesa e fazer umas perguntas sobre a sua vida. Assim aconteceu no dia seguinte. O Senhor Poeta tinha abandonado a Aldeia nos anos 60 para Lisboa. Pessoa simples e humilde não teve aparentemente alguém na cidade que não o entendesse, e assim esteve na Cidade durante 30 anos, com os dotes que tem, mas sem estudos e sem ajuda lá tem caminhado na sua vida quase solitária,a tomar conta da sua mãe. Humildemente vestido. Humildemente vivendo e sempre alegre falando a toda gente, as vezes até ignorando o seu modo de vida.
Fico indignado muita vez. Verifico que o Povo se vê alguém que não é como eles, basta as vezes não ter emprego, é porque não gosta de trabalhar. É porque é "calão". É porque não tem um certo hábito que o resto dos locais tem, já se põe de parte. É a grande falta de conhecimento, ou cultura que o Povo tem que aponta ou atribuí estes rótulos.
As vezes somos eguístas e só pensamos em nós e não nos outros, e isso por vezes ajuda a criar a pobreza nos outros só porque não são como eles .
Há poucos anos também havia na minha aldeia um senhor com cerca de 40 anos que era alcoólico. Boa pessoa. Aos fins de semana vinha bater a porta para lhe dar uma moeda. Raramente lhe dava a moeda porque sabia que era para alcool, mas fazia sempre uma sandes que ela guardava religiosamente para quando fosse a noite, comer. Quando batia a porta, por vezes, já se dizia cá em casa (olha vai abrir a porta que é Ele). Claro era comigo, e com muito gosto lhe fazia a sandes. Foi das melhores coisas que fiz ,pois quando se cruzava comigo na rua dizia que lá vinha o amigo. Pois, porque amigos não os tinha. Entretanto, O Manuel faleceu, e na mercearia, alguém da família dele encontrou-me e olhando nos olhos e disse-me "o seu amigo morreu".
Que bom saber que ele me considerava amigo. Pensei eu
Existem pobres, que as vezes o são porque precisam de ser encaminhados. Até as vezes por um familiar para lhes fazer ver que é preciso fazer alguma coisa para ter que comer. Por vezes até são muito bons a trabalhar desde que esteja alguém por perto a defenir as regras. As capacidades são muitas vezes limitadas, embora inteligentes.

- Outro caso que com o tempo caíu em pobreza.


Noutra altura tive também um colega na minha empresa que na sua idade de adolescência se formou em engenharia em Barcelona, lá pelos anos 70. Veio entretanto para o nosso País onde casou e teve 4 filhos , e tendo sido admitido na minha empresa como dos primeiros empregados, começou por mostrar os seus conhcimentos. Entretanto veio a pouco e pouco a dedicar-se ao álcool e a desorganizar-se pessoalmente até nas suas capacidades, ao ponto que já com os seus 40 e poucos anos já seria preciso sempre alguém ao seu lado para lhe indicar o que teria de fazer. Entrou numa pobreza profunda ao ponto de enganar a própria mãe, já que entretanto a esposa se separou dele e viu-se obrigado a entregar a casa a entidade a quem comprou a casa. Fui eu que lhe segui as pégadas e o tentei encaminhar já com a idade que por fim tinha. Acabou por ser dispensado da empresa com a idmenização respeitante aos anos que possuia. Mas logo de seguida refazendo a sua vida com outra pessoa de origem estrangeira tendo ao fim de pouco tempo esgotado também a quantia que obteve do seu despedimento.
Claro que este caso é um pouco diferente dos 2 anteriores, pois teve grandes oportunidades, e a certa altura deixou de as aproveitar.
VAMOS AJUDAR A ACABAR COM A POBREZA.